ANTES, DEPOIS e AGORA

ANTES

Em 1976, quando a Banda do Cidadão não estava legalizada, isto é, quando só se podia falar um bocadinho porque os serviços de fiscalização, na altura D.S.R. (Direcção dos Serviços Radioeléctricos), procuravam os Macanudos, ou seja, os indivíduos que ao fazerem transmissões nos 27 MHz. estavam a infringir a lei. Foi nesta altura que eu, com apenas 6 anos de idade, me iniciei na RÁDIO com um equipamento só de A.M. (amplitude modelada) GE-35804D, que o meu falecido AVÔ me trouxe de uma das suas viagens. Nessa época utilizava o nome de estação "Vítor Alfa" que era a abreviatura de Valente, ou seja o apelido do meu AVÔ.
O CB era um núcleo muito restrito, onde existiam apenas "meia dúzia" de estações que entre si trocavam opiniões e, “faziam rádio” de forma muito ordeira e cordial.

DEPOIS

Já com a Banda legalizada registei-me com o nome de estação "TERRAMOTO" este nome surgiu por sugestão de alguns colegas em virtude do meu comportamento irrequieto na rádio. Foi desta forma que o menino pequenino e endiabrado, que só se "comportava bem" quando o AVÔ estava por detrás a orientar, se tornou o “TERRAMOTO".
Guardo boas memórias de alguns colegas que “faziam rádio” de forma engraçada e activa, que em minha opinião, foram eles os fundadores do CB
Alguns deles, infelizmente, já não estão entre nós, como e o caso do António (Estação "Romanof") e o João Carlos (estação "Madruga"). Guardo também na memória alguns episódios engraçados, como seja:
Em 1978, com apenas 8 anos de idade irritei de tal modo o Luís Forra (estação "Dakota Bravo") ao dizer-lhe que "lhe partia a boca" caso ele viesse ter comigo , que ele ao fim de um dia de busca me encontrou e, escusado será dizer que quando olhou para mim e viu um miúdo, desatou a rir e ficamos amigos.
Certo dia, fui a casa do Sebastião dos “enxertos”, considerado o António Vale da margem sul. Quando entrei e logo que vislumbrei os seus equipamentos de CB, fui direitinho ao rádio, não cumprimentando nenhum dos presentes, e comecei a falar no canal 11. A mãe dele achou tanta piada à minha infantil irreverência, que nunca mais se esqueceu de mim.

AGORA

Já não se passa quase nada. Foram todos para radioamadores, incluindo eu, mas sei que no fundo ninguém esqueceu o CB, apenas se sentem magoados com o que lá se passa; o que não é de estranhar
porque o CB é uma banda aberta e recreativa, o que significa que se ouve de tudo. Penso que alguém quer acabar com o CB, por isso, meus amigos não vamos desistir e abandonar a Mãe de quase todos os actuais radioamadores. O CB não morreu, nós é que o estamos a deixar enterrar! Apesar de existirem indivíduos que não concordam e não gostam de ouvir isto, o CB, é uma Banda Amadora que tem de ser respeitada e
não denegrida por certas pessoas sem escrúpulos e sem conhecimento de causa. Salvo raras excepções, somos todos AMADORES, independentemente da banda onde operamos. É por tudo isto, que tenho muito orgulho em dizer que sou RADIOAMADOR e também Cebeísta (Macanudo).

João Andrade - Estação CB TERRAMOTO
Indicativo de Amador - CT1AZN